Perfil do Jornalista Brasileiro
  • Relatório “Perfil do jornalista brasileiro” será lançado no dia 6 de maio, na UFSC

    Publicado em 22/04/2013 às 18:18

    O Núcleo de Estudos sobre Transformações no Mundo do Trabalho da Universidade Federal de Santa Catarina (TMT/UFSC) lança, no dia 6 de maio, o relatório “Perfil do jornalista brasileiro – Características demográficas, políticas e do trabalho jornalístico em 2012”. A publicação, da editora Insular, apresenta os resultados quantitativos de enquete com 2.731 profissionais, realizada entre setembro e novembro do ano passado pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política (PPGSP), em convênio com a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). O projeto teve o apoio da Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor) e do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ).
    O estudo indica que a categoria tornou-se majoritariamente feminina (64%) e jovem (59% têm até 30 anos). Entre outros dados, o levantamento constata que 98% da categoria tem formação superior e 40% já com pós-graduação. Dos jornalistas, 59,9% recebem até cinco salários mínimos, aproximadamente 50% trabalham mais de oito horas por dia e 27% trabalham em mais de um emprego. A pesquisa aferiu a distribuição dos profissonais por tipo de atividade: os que atuam principalmente na mídia são 55%, os que atuam em assessoria de imprensa ou outras atividades jornalísticas fora da mídia são 40%, e os que atuam como professores são 5%. Uma síntese dos resultados está disponível aqui.
    O lançamento ocorrerá às 19h, no miniauditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas. A programação prevê a apresentação dos principais resultados da pesquisa e análises sobre a relevância do estudo para os campos da sociologia e do jornalismo no Brasil, pelos coordenadores do PPGSP, Ricardo Gaspar Müller, e do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da UFSC (PosJor), Rogério Christofoletti.

    Perfil do jornalista brasileiro-Sintese


  • Resultados da pesquisa de perfil serão divulgados em 4 de abril

    Publicado em 03/04/2013 às 12:51

    A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) convida para Entrevista Coletiva com a
    Imprensa nesta quinta-feira, 4 de abril, quando será lançado o relatório final da
    pesquisa “Perfil profissional do jornalista brasileiro”. A atividade será às 14h30, no
    Hotel Aracoara, em Brasília. O lançamento do relatório da pesquisa marca as atividades do
    Dia do Jornalista – 7 de abril.

    Os resultados se baseiam em respostas de 2.731 jornalistas, de todas as unidades da
    federação e também dos exterior, a um questionário online. Com margem de erro inferior a
    2%, foi desenvolvida com a participação voluntária dos profissionais.

    A pesquisa é um projeto do Núcleo de Estudos sobre Transformações no Mundo do Trabalho da
    Universidade Federal de Santa Catarina (TMT/UFSC) em parceria com a Federação Nacional
    dos Jornalistas (FENAJ) e com apoio do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ)
    e da Associação Brasileira de Pesquisadores do Jornalismo (SBPJor). Foi a primeira vez
    que se realizou uma pesquisa com jornalistas baseada num estudo prévio das dimensões da
    categoria – aproximadamente 145 mil profissionais – e com amostragem de todas as regiões
    do país.

    Entre as características demográficas da categoria, o relatório aponta significativa
    expansão na presença feminina no fazer jornalístico. Segundo os dados da pesquisa, hoje
    há mais mulheres (64%) do que homens atuando no mercado de trabalho. Apesar disso, os
    homens ocupam predominante os cargos de chefia.

    Segundo os dados, quase a íntegra dos jornalistas que atuam no Brasil têm formação
    superior (98%). Desses 91,7% têm graduação em Jornalismo. Dos graduados, 61,2% são
    formados no ensino privado e 40,4% deles têm curso de pós-graduação. Foram identificados
    317 cursos de Jornalismo no país.

    De acordo com o levantamento, 59,9% dos jornalistas recebem até cinco salários mínimos. O
    índice de desemprego observado na categoria coincide com a taxa no país, que fechou o ano
    de 2012 com 5,5%. A cada 4 jornalistas, 1 está filiado a sindicato, ou seja 24,2% são
    associados a entidades sindicais. Dos jornalistas, 55% atuam em mídia (veículos de
    comunicação, produtoras de conteúdo etc.), 40% atuam fora da mídia, em atividades de
    assessoria de imprensa ou comunicação ou outras ações que utilizam conhecimento
    jornalístico, e 5% trabalham predominantemente como professores.

    Estes e muitos outros dados serão apresentados aos participantes da Entrevista Coletiva,
    que contará com a presença de diretores da FENAJ, do FNPJ, da SBPJOR e de um dos
    coordenadores da pesquisa, o professor Samuel Pantoja Lima (da Universidade de Brasília,
    cedido ao Departamento de Jornalismo da UFSC). O relatório será publicado no livro
    “Perfil do jornalista brasileiro – Características demográficas, políticas e do trabalho
    jornalístico em 2012”, em impressão pela Insular (Florianópolis).

    O QUE: Entrevista Coletiva de lançamento nacional do relatório da pesquisa “Perfil do
    jornalista brasileiro”

    ONDE: Hotel Aracoara (Salão Fernando Costa) – Setor Hoteleiro Norte, Quadra 5, Bloco C
    Brasília – DF, Fone (61) 3252-5252

    QUANDO: 4 de abril, quinta-feira, às 14h30


  • Pesquisa de Perfil do Jornalista Brasileiro conclui coleta de dados

    Publicado em 18/11/2012 às 21:01

    A pesquisa Perfil do Jornalista Brasileiro concluiu a coleta de dados derivados da participação espontânea dos profissionais. Foram colhidas respostas de quase 5 mil jornalistas, de todas as unidades da federação e também do exterior.

    A base de dados passa agora a ser saneada, com a eliminação de respostas incompletas ou de má-fé. A interpretação dos dados também dependerá de uma análise de consistência da amostragem. Para tanto, será feita uma comparação entre as respostas obtidas com a participação voluntária dos jornalistas e as respostas colhidas por telefone ou email junto a uma amostra selecionada entre mais de 92 mil nomes de profissionais registrados em funções jornalísticas, em relações fornecidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Essa base, de produção mais lenta, conta 151 respostas até o momento.

    Só depois disso os resultados serão gerados e analisados. A divulgação do relatório está prevista para março de 2013.

    Agradecemos pela colaboração!


  • Pesquisa de Perfil do Jornalista Brasileiro abre questionário

    Publicado em 26/09/2012 às 19:10

    Está aberto o questionário da pesquisa Perfil do Jornalista Brasileiro. Você pode participar e preencher o questionário clicando aqui. Os resultados obtidos com a participação espontânea dos profissionais serão comparados a dados colhidos por telefone ou email junto a 1.102 jornalistas, uma amostra selecionada entre mais de 92 mil nomes de registrados em funções jornalísticas, em relações fornecidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

    Agradecemos pela colaboração!


  • Survey para traçar o perfil dos jornalistas começa em setembro

    Publicado em 29/08/2012 às 19:36

    A partir de 15 de setembro, os jornalistas brasileiros poderão participar do mais amplo levantamento sobre o perfil da profissão já feito no país, respondendo um questionário detalhado disponível na internet. O projeto de pesquisa, do Núcleo de Estudos sobre Transformações no Mundo do Trabalho da Universidade Federal de Santa Catarina (TMT/UFSC) tem o apoio da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ) e da Associação Brasileira de Pesquisadores do Jornalismo (SBPJor).

    Os resultados obtidos com a participação espontânea dos profissionais serão comparados aos dados colhidos junto a 2.204 jornalistas, uma amostra selecionada entre mais de 92 mil nomes de registrados em funções jornalísticas, em relações fornecidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego. É a primeira vez que se realiza uma pesquisa com jornalistas baseada em amostragem estratificada.

    “O uso de internet para a realização de pesquisas quantitativas ainda é recente”, observa o coordenador da pesquisa, o professor Jacques Mick, do Departamento de Sociologia e Ciência Política da UFSC. “Não temos como saber, a priori, se a participação espontânea dos jornalistas com acesso à internet corresponderá à distribuição do conjunto da categoria. Por isso, optamos por comparar os dados obtidos por meio de duas estratégias distintas de pesquisa”, explica.

    A equipe de pesquisa, formada por professores e alunos de graduação, mestrado e doutorado, desenvolverá ações de divulgação do link para o questionário por email, redes sociais e sites de notícias. Fenaj, FNPJ e SBPJor ajudarão a divulgar o calendário de pesquisa.  Os jornalistas registrados que integram o plano amostral serão localizados pela internet ou por telefone e convidados a participar.


  • Brasil tem 145 mil jornalistas registrados

    Publicado em 29/08/2012 às 19:33

    O número de jornalistas com registro profissional no Brasil mais que dobrou na primeira década de 2000, em relação aos 20 anos anteriores, e alcançou 145 mil em dezembro de 2011. A estimativa é do projeto de pesquisa “Perfil profissional do jornalismo brasileiro”, que teve acesso a duas relações de registrados, fornecidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), com 92 mil nomes ao todo.

    O total refere-se à soma de duas estimativas: a primeira delas calculou em 52,9 mil o volume de registros em funções jornalísticas no Brasil efetuados entre 1980 e 2000; a segunda avaliou em 92,5 mil o número de trabalhadores que obtiveram registro entre 2000 e 2011. As estimativas são inevitáveis porque um sistema digital de controle dos dados só foi adotado pelo Ministério em meados dos anos 2000, com ritmos de implantação distintos de estado a estado.

    Para a projeção dos registros feitos antes de 2000, adotou-se como base a numeração inicial dos registros por estado, na primeira menção indicada numa relação de registrados entre 2000 e 2011 fornecida pelo MTE. Como em praticamente todos os estados os registros são efetuados em ordem numérica, estimou-se que, desde o início dos registros até o princípio dos anos 2000, haviam sido registrados 84,5 mil jornalistas no país. Nessa relação, com 22,8 mil nomes, foi analisada a distribuição percentual dos registros por década, a partir de 1930, e traçada uma linha de corte em 1980, entendendo que seriam exceções os casos de profissionais com mais de 30 anos de exercício (de 1980 a 2010). Constatou-se que 32,23% tinham se registrado nos anos 1980 e 30,40%, nos anos 1990: aplicados os índices à estimativa de total de registros, chegou-se ao número de 52,9 mil registros efetuados entre 1980 e o início dos anos 2000.

    A listagem de registrados entre 2000 e 2011, embora mais completa que a anterior, também não contém todos os nomes. Assim, a equipe de pesquisa avaliou estado por estado a distribuição dos nomes e números de registros, para identificar as variações e projetar em 92,5 mil o total aproximado de jornalistas registrados no país durante esses 12 anos.

     

    Amostragem

    Com base nas listas de registrados, a equipe do projeto colheu uma amostra aleatória, com 2.204 nomes, que, de setembro a dezembro deste ano, serão localizados e convidados a responder um questionário publicado na internet, destinado a traçar o perfil da categoria. O questionário é de acesso livre a qualquer jornalista interessado em participar do levantamento. Os resultados da amostra serão comparados ao conjunto das respostas.

     

    Categoria

    O número de registrados é uma aproximação às dimensões atuais da categoria. As próximas etapas do projeto de pesquisa permitirão depurar, do total de registrados, os trabalhadores que continuam a atuar como jornalistas. Além desses, a pesquisa de perfil, com questionário  aberto via internet, poderá permitir a estimativa de quantos jornalistas atuam sem registro profissional (com ou sem formação específica em Jornalismo). Só então será possível ter uma dimensão mais precisa de quantos são os jornalistas brasileiros.


  • Etapa I – Quantos são os jornalistas brasileiros?

    Publicado em 06/04/2012 às 18:29

    Aqui você encontra mais informações sobre o projeto de pesquisa Perfil Profissional do Jornalismo Brasileiro, coordenada por professores do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política da UFSC, do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da UFSC e da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília.

    O site está dividido em tópicos, nos quais você poderá ter aceso aos detalhes do Projeto (Objetivos, Metodologia, Justificativa, Problemática e Revisão Bibliográfia e Equipe), aos dados recolhidos e quantificados (Egressos, Registrados, Sindicalizados e Resultados) e ao Questionário que será aplicado aos jornalistas brasileiros no segundo semestre de 2012.